1.   
    Home
  2.  > 
    Descubra
  3.  > 
    Balanceamento e alinhamento do carro: quando é a hora certa de fazer?

Descubra 11/02/2021

Balanceamento e alinhamento do carro: quando é a hora certa de fazer?

Afinal de contas, você sabe o que são e para que servem os procedimentos de balanceamento e alinhamento? Caso não, sem problemas. A nossa missão é explicar as principais curiosidades sobre o tema, demonstrando a importância de tais serviços de manutenção para a dirigibilidade do seu veículo. Como já destacamos inúmeras vezes neste portal, a manutenção preventiva é indispensável para identificar possíveis sinais de desgaste e pontos de melhoria. Por isso, reforçamos a importância de trazer esse assunto à sua atenção. Então, não perca tempo e acompanhe!

O que é o alinhamento?

O alinhamento automotivo é um procedimento de manutenção com o objetivo de corrigir parâmetros da geometria da suspensão do carro. De maneira mais simples, como sugere o nome, o procedimento é responsável por realizar o alinhamento das rodas. Por isso, é fundamental e sempre deve ser efetuado após você trocar o pneu do seu carro, periodicamente em intervalos de tempo ou quilometragem. Com tal procedimento, é possível conter o desgaste dos componentes da suspensão e garantir uma trajetória reta durante a condução.

Como o alinhamento é feito e qual sua utilidade?

Como você já deve ter notado, o alinhamento é um serviço de manutenção um pouco mais complexo, que exige competência e ferramentas técnicas. Por isso, é importante levar o automóvel a uma oficina de confiança, preferencialmente uma autorizada pela montadora do seu veículo. O objetivo do alinhamento é corrigir o ângulo das rodas, ao adequar todas à mesma direção. Desse modo, é possível eliminar o principal sintoma do desalinhamento, que é a condução de um veículo que puxa para um dos lados durante o trajeto. Para entender a utilidade de tal procedimento, é importante conhecer todas as consequências inerentes à negligência desse tipo de serviço de manutenção. A médio e a longo prazo, um veículo mal-alinhado vai começar a gerar o desgaste acelerado das peças do sistema da suspensão. Esse processo nocivo é provocado pela sobrecarga em algumas peças específicas, que estão trabalhando em excesso para contrapor a desarmonia de força e direcionamento para um dos lados. Além de tal aspecto, também há o desgaste irregular dos pneus. Automóveis mal-alinhados apresentam uma trajetória “torta”. Em outras palavras, eles puxam para um lado, o que aumenta o desgaste sobre uma das faces e reduz a durabilidade do componente, que dificilmente poderá ser reutilizado após um rodízio — reposicionamento dos pneus em diferentes rodas. Além disso, um carro desalinhado gera extremo desconforto e insegurança durante a condução. Com a direção puxando para um lado, o motorista não tem total controle sobre o veículo e passa a sofrer com uma zona morta — intervalo de viragem em que o volante não surte efeito nas rodas. O alinhamento serve para evitar esses problemas, que, além de inconvenientes, também se acumulam na forma de grandes riscos para a sua segurança nas estradas e para o seu bolso. Por isso, mesmo embora seja um procedimento corretivo, o alinhamento também costuma ser realizado em caráter preventivo.

O que é o balanceamento?

Já o balanceamento é um procedimento, também técnico, que exige a realização por profissionais e tem finalidade para reequilibrar a distribuição de peso do veículo sobre as rodas. Quando essa distribuição é desarmônica, o desgaste começa a ficar evidente nas peças trabalhando em sobrecarga. Por tal motivo, o balanceamento também é um procedimento de manutenção recomendado após a troca do jogo de pneus. Afinal de contas, não basta apenas escolher e usar o pneu certo para o carro, mas ainda é necessário efetuar todos os procedimentos para a funcionalidade e segurança do conjunto.

Como o balanceamento é feito e qual sua utilidade?

Com o tempo e o uso, é perfeitamente natural que alguns componentes do veículo demonstrem desgaste, sobretudo os pneus, que estão em constante atrito com as estradas, trabalhando pressurizados e sob o peso constante do automóvel. Por isso, durante o uso do veículo, é comum que algumas áreas da borracha perca volume, por conta da repetição constante de percursos e irregularidades iguais. Tal desgaste desequilibrado da banda de rodagem acarreta um dos sintomas mais irritantes do mundo automotivo, a trepidação. Sendo assim, é fácil identificar quando um carro precisa de balanceamento, pois ele acusa o contraste do diâmetro das rodas, por meio da trepidação no volante — que é um problema gerador de muito desconforto na cabine, sendo capaz até mesmo de interferir no consumo de combustível. Para solucionar tal contraste volumétrico entre os pneus, o balanceamento corrige o problema ao inserir contrapesos de chumbo nas bandas de rodagem dos pneus. Dessa forma, é possível compensar a variação e retornar a condução como era normalmente.

Como saber que está na hora de fazer balanceamento e alinhamento?

Por fim, entramos no ponto em que há mais confusão sobre o assunto. Afinal de contas, é normal que os temas automotivos sejam repletos de opiniões, dicas e observações, sem que esses comentários sejam respaldados por um departamento técnico responsável, como a montadora do seu veículo. Por isso, a melhor recomendação sempre será aquela emitida pela montadora do seu carro. Periodicamente falando, tanto o balanceamento como o alinhamento devem ser realizados a cada 10 mil quilômetros rodados. Essa é uma marca média, podendo variar para mais ou menos, de acordo com o seu modelo e perfil de uso. Por exemplo, digamos que você rodou apenas 5 mil km, mas tem um perfil de uso constante e, sobretudo, em terrenos irregulares. Além disso, já passou a notar os sintomas indicativos de falta de alinhamento e aumento no consumo de combustível. Nesse caso, é importante antecipar a visita à oficina, realizando os procedimentos para devolver a direção à normalidade. Como pôde ver, balanceamento e alinhamento são procedimentos indispensáveis para a sua segurança, tranquilidade e economia nas estradas e que, mesmo sem serem identificados no dia a dia, podem ser rapidamente diagnosticados em um dos seus procedimentos de revisão agendados. Agora que você está atualizado acerca do tema, continue aprendendo sobre procedimentos fundamentais à durabilidade e economia do seu carro. Para isso, confira a importância da manutenção preventiva!

Sigam as nossas redes:

Veja também